A Indústria de Recrutamento vai morrer em 2018

A Indústria de Recrutamento vai morrer em 2018

Por Oleg Vishnepolsky

CTO Global do Daily Mail Online e Metro.co.uk

Eu acredito que a indústria tem cerca de 2 anos restantes nisso, 4 no máximo. Aprendizagem de máquina, grande banco de dados e algoritmo de propensão, pode lidar com vastas redes de conexões de forma muito melhor do que um ser humano poderia lidar.

A massa crítica das novas ferramentas, algumas das quais estão disponíveis agora, chegarão em 2018 justamente quando a nova recessão está prevista para acontecer. É quando os recrutadores internos começarão a reduzir os honorários das agências de recrutamento, e a usar as novas ferramentas em massa. Uma vez nas ferramentas, eles não voltarão atrás, jamais.

Os algoritmos mais avançados podem prever quando uma pessoa está pronta para um cargo novo baseado no tempo de trabalho e na atividade na mídia social e até mesmo histórico de compras.

Os algoritmos de análise de texto mais avançados podem escolher habilidades e experiência muito melhor do que os seres humanos, cerca de 10 milhões mais rápido.

De fato a Microsoft tem algoritmos muito inteligentes em nuvem Azul. Eles estão comprando a LinkedIn com volumes de dados e conexões. Colocando 2 mais 2 juntos no que isso significa não requerer algoritmos.

No início deste ano, a LinkedIn comprou uma empresa de aprendizagem de máquina com uma especialidade em recrutamento AI: LinkedIn adquire a startup de recrutamento Connectifier. Assim com ou sem a ajuda da Microsoft, a LinkedIn já está a caminho. Julgando pelo número de especialistas em aprendizagem de máquina já empregados pela LinkedIn, eles devem estar muito perto (de acordo com pesquisa LinkedIn, pesquise “aprendizagem de máquina linkedin” na busca linkedin).

Depois que este artigo foi publicado, a LinkedIn respondeu com esta mensagem perspicaz: Fazer Escolhas Difíceis: A Procura por Ética em Aprendizagem de Máquina. Eles estão definitivamente trabalhando nisso.

Por favor não acredite só em minha palavra – pesquise no Google sobre automação e aprendizagem de máquina com recrutamento. Existem empresas que já estão fazendo este algoritmo de sourcing. Os algoritmos têm sido usados no mercado digital por anos. O que é novo é a maturização do campo de aprendizagem de máquina.

Existem tendências na indústria de tecnologia que são precursoras de uma grande perturbação no campo de recrutamento.

Você deve achar estes links interessantes: Harvard Business Review: Ao Contratar, Algoritmos vencem o instinto, Como a Aprendizagem de Máquina está Revolucionando o Recrutamento, Para todos os recrutadores – usem a aprendizagem de máquina para contratar melhores candidatos, O que a Aprendizagem de Máquina Pode Trazer Para o Recrutamento Empresarial, Harvard Business Review: Como Contratar com Algoritmos, WSJ: Financiamento Instantâneo: Aprendizagem de Máquina-Software Atípica de Recrutamento Impulsionado levanta $2M iniciais, 2016 será o ano da inteligência (máquina) em recrutamento.

As decisões de contratação ainda serão feitas por pessoas, não por máquinas – pessoas (recrutadores internos e gerentes) auxiliados com as ferramentas da idade digital. O processo será muito menos subjetivo e mais transparente para os candidatos.

Recrutadores externos ainda serão necessários mas em menor número e com um conjunto de habilidades adicionais – aqueles que sabem lidar com dados e análise quantitativa, e são capazes de operar o software de aprendizagem de máquina. A agência do futuro próximo será altamente digital.

Uma mudança não é necessária, assim como sobrevivência não é obrigatória.

Eu adoro recrutadores. Eles são um grupo de pessoas dedicadas, divertidas. Há algumas maçãs más também que criam empregos falsos, não retornam telefonemas, tratam os candidatos com discriminação e desrespeito como se fossem gado. Esses maus elementos causam a má reputação para a indústria e serão eliminados por um mercado mais eficiente.

É por isso que eu espero que eles estejam lendo isto, porque os prevenidos valem por dois.

Eles podem começar por seguir os tópicos de automação no campo de recrutamento. É um bom lugar para começar.

Resumindo tudo:

  1. Os seres humanos NÃO serão substituídos por robôs. As habilidades pessoais terão que ser avaliadas pelos recrutadores. As Empresas nunca vão confiar em uma máquina para isso, não por um longo tempo. Competências profissionais serão avaliadas por gerentes de contratação. Todavia, os novos conjuntos de ferramentas AI farão as agências que usam essas ferramentas muito mais competitivas do que as que não as usam.
  1. Há provavelmente uma grande ruptura vindo para recrutadores externos porque a tecnologia e dados proporciona condições equitativas. O recrutamento interno pode não necessitar de agências externas na mesma proporção que agora. O recrutamento interno terá o mesmo conjunto de ferramentas e dados. Sim, grandes recrutadores sempre serão necessários. A pergunta é quantos. Quantos agentes de viagem nós temos agora X 10 anos atrás? A recessão de 2018 será o catalisador e o ponto de inflexão. Veja, a recessão dura 2 anos. Contratar sempre demora, e na hora que o mercado de trabalho esquentar novamente, estaremos em 2022. Nesse momento as ferramentas serão muito poderosas e terão provado que funcionam.
  1. O número absoluto de especialistas em aprendizagem de máquina da LinkedIn e a integração de forças com a MSFT-Azure alimenta minha suposição de que o Recrutador LinkedIn fornecerá capacidades muito mais ricas do que o que eles fazem agora. Faria mineração de dados e forneceria uma lista de candidatos qualificados provavelmente para responder a uma solicitação recebida. Naturalmente, o recrutamento interno e gerentes de contratação vão negar esta lista – contratar não deverá ser confiado a uma máquina, mas o processo se torna muito mais racional. A mineração de dados não será apenas baseada nos currículos – levará muitos outros dados em consideração.
  1. Se a suposição 3 acima está errada, já há um número de start-ups que estão construindo e algumas que já estão fornecendo algumas dessas competências hoje. Veja o link da WSJ acima como um exemplo. Como mencionado, a LinkedIn já comprou uma empresa AI, Connectifier. Alguns exemplos de empresas que estão fazendo o mesmo agora: Manpower, RecruitingScience, Antipica, Zoek, Geber Brand Consulting, Thisway Global, Relink, Jobi.ma.
  1. Esta próxima transformação perturbadora é toda sobre o fortalecimento de recrutadores internos.
  1. Manpower – a empresa que tem feito correspondência algorítmica e automação por anos e tem operado grandes bases de dados – está bem colocada.

Se você chama isso de morte de uma indústria ou uma transformação perturbadora está aberta para uma discussão de definição.

Vencedores: recrutadores internos, candidatos, grandes empresas de recrutamento com dados e tecnologia tal qual a Manpower.

O futuro não é o que costumava ser.” Yogi Berra.

Anterior Apenas 2% dos candidatos podem vir a ser entrevistados
Próxima Vai implementar novos sistemas para Recursos Humanos?

About author

Joyce Bambach Luiz
Joyce Bambach Luiz 93 posts

Gerente de Marketing e Relacionamento da 4Linux e da Rankdone, com mais de 11 anos de experiência no segmento de tecnologia.

View all posts by this author →

Você pode gostar também

Dicas e Novidades

4 dicas de hábitos para tornar o ambiente organizacional melhor

O fato que trabalhadores satisfeitos realizam melhor suas tarefas não é nenhuma novidade. Para obter tal satisfação, porém, não basta receber o salário ideal. É preciso contar com um bom

Dicas e Novidades

Como implementar a cultura de feedback empresas?

O feedback, ou seja, o retorno de informações aos funcionários, é uma das mais importantes ferramentas na gestão de RH. Uma cultura de feedback reduz a rotatividade de pessoal, pois os

Recursos Humanos

5 dicas para fazer um planejamento de RH incrível

Saber como fazer planejamento de RH é uma necessidade para o setor e até para um empreendedor ou gestor, o que pode acontecer em empresas menores. Toda organização precisa de